sexta-feira, 30 de setembro de 2016

ESPELHO

 
                                                                                               
 Amo-te; E o teu corpo dobra-se

À luz ténue, da lâmpada da minha memória.


No espelho reflecte-se o teu sorriso.

Como a dizer que me esperas, em qualquer parte do infinito.

Tento puxar-te, para fora da moldura que te prende.

O teu rosto claro e frio, branco como a neve!

-Lanço para ti, o meu olhar meigo e calmo.

E espero que um dia saias dessa vitrina, e me venhas

Ajudar a compor, a compor, este poema.


2 comentários:

  1. Nem precisas de ajuda para compores os poemas.
    Este, por exemplo, é maravilhoso. Gostei imenso.
    Nina, minha querida e doce amiga, tem um bom fim de semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  2. Amiga, obrigada pela tua visita, gostei muito deste poema, tem muito significado, é a tua cara, vês como te conheço bem?
    Para ti amiga, o desejo de uma boa semana da tua amiga...Miuíka

    ResponderEliminar

O consolo de ter um amigo poderá ser-nos roubado,
mas não o facto de o termos tido.