sexta-feira, 5 de agosto de 2016

A VIDA SERÁ QUE NÃO É MAIS QUE ILUSÃO?



Quando as sombras da tarde vão caindo

Traçando o dia que já foi.

Vejo os passos sumidos dos que estiveram junto a mim

E sinto o barulho do silêncio que aos poucos me contrai.

Olho em meu redor e nada vejo,

Sinto no meu corpo o toque leve… como o esvoaçar

Das borboletas.

São as tuas mãos transformadas em bolas de sabão,

Quanto mais abro os olhos menos enxergo!

Porque ainda não me é permitido ver,

Ergo os olhos ao céu… meu Deus, quero partir

Já não quero estar mais aqui!

Tudo se foi e nada tenho, também nada tive,

Deixo o meu corpo cair sobre a terra molhada

Pelas lágrimas que brotei ao longo do tempo, que por cá andei.

Nascer.

Viver.

Aprender.

Tudo não passa de quimeras

Saudades.

Tristezas.

Ilusões                   

Sem comentários:

Enviar um comentário

O consolo de ter um amigo poderá ser-nos roubado,
mas não o facto de o termos tido.